Ficas - Compartilhando conhecimentos, transformando pessoas e organizações

Compartilhando conhecimentos, transformando pessoas e organizações

FICAS em Ação nº 81 - Ago/20

Pandemia dita rumos de nova parceria do FICAS com o Instituto Alcoa
Uma categoria emergencial foi acrescentada ao edital do Programa de Apoio a Projetos Locais 2020. O FICAS também esteve envolvido no apoio a dois hospitais de campanha.

Em 2020, o FICAS e o Instituto Alcoa renovaram a parceria na área de avaliação direcionada ao Programa de Apoio a Projetos Locais. Neste ano, além de projetos nas áreas de atuação prioritária do instituto, Educação e Geração de Trabalho e Renda & Empreendedorismo, puderam participar iniciativas para mitigação dos impactos da pandemia de Covid-19 na categoria Apoio em Tempo de Pandemia, nessas e em outras áreas: Saúde, Segurança, Governança, Cultura e Esportes.

O edital esteve vigente no mês de agosto, sendo finalizado no dia 28, e recebeu a inscrição de 67 projetos que solicitaram apoio entre R$ 50 mil e R$ 250 mil, a serem desenvolvidos por organizações da sociedade civil e/ou do poder público das regiões de Juruti, PA (Juruti, Óbidos e Santarém), São Luís, MA (São Luís, Paço do Lumiar, Raposa e São José de Ribamar) e Poços de Caldas, MG (Andradas, Divinolândia, SP, e Poços de Caldas), territórios onde a Alcoa tem unidades.

"Em abril, ainda no início da pandemia, o Instituto Alcoa reavaliou a estratégia que havia sido estabelecida para o ano, considerando seus projetos e programas. As duas áreas de atuação do Programa foram as mais afetadas pela pandemia, mas consideramos que também seria necessário apoiar as organizações locais em outras demandas geradas pela crise social e financeira", conta Monica Espadaro, gerente de Projetos Comunitários do Instituto Alcoa. "Do total de projetos que foram submetidos para análise, 20% estão relacionados à mitigação de impacto da pandemia de Covid-19. Neste ano, entendemos ser fundamental apoiar projetos desta natureza, para contribuir com a recuperação e o fortalecimento das comunidades", completa.

Como em 2019, o FICAS está à frente do processo de seleção, monitoramento e apoio técnico dos projetos, porém, neste ano, houve mudanças nas atividades da assessoria diante do cenário atual. As viagens para realização de workshops de divulgação do edital e assessoria aos representantes de Relações Comunitárias (RCs) e aos Conselhos Consultivos de Relações Comunitárias (CCRCs), que apoiam o processo seletivo, não puderam acontecer. Mas os eventos foram feitos por meio virtual e o material produzido para divulgação e orientação foi ainda mais completo, incluindo vídeos de passo a passo. As orientações às organizações sobre o preenchimento da ficha no sistema da Alcoa seguiram por e-mail, telefone e WhatsApp.

"Nos meses de abril e maio, assessoramos também o Instituto na análise de propostas e documentos referentes ao apoio a dois hospitais de campanha, oferecido pela Alcoa Foundation – um em Poços de Caldas, outro em São Luís. Esta ação não estava prevista e foi desenvolvida na situação emergencial da pandemia de Covid-19", conta Marcia Quintino, coordenadora técnico-metodológica do FICAS e uma das responsáveis pela parceria com o Instituto Alcoa.

Sete anos de parceria
"A parceria do Instituto Alcoa e do FICAS é muito rica, sempre com muita troca, com respeito e aprendizado. Neste ano, precisamos nos adaptar, nos ajustar ao novo formato de trabalho. E digo que os desafios foram superados. Estamos agora na fase de avaliação de projetos e o conhecimento e a experiência das consultoras do FICAS serão fundamentais para que possamos apoiar aqueles projetos que contribuirão para o desenvolvimento das comunidades", declara Monica Espadaro.

Esta parceria na área de avaliação para seleção de projetos já havia sido realizada nos anos de 2015, 2018 e 2019. O FICAS e a Alcoa também já trabalharam juntos no desenvolvimento do Projeto Cambará, uma formação que contou com cinco edições (2014 a 2018) em diversos polos pelo Brasil e tinha como objetivo fortalecer o papel estratégico das organizações da sociedade civil.

> Saiba mais sobre o Instituto Alcoa e sobre a Alcoa Foundation.

 
Festival ABCR 2020 foi realizado em evento totalmente digital
O FICAS apoiou institucionalmente a iniciativa que contou com a participação de mais de 150 palestrantes nacionais e internacionais.

Em mais um ano consecutivo, o FICAS apoiou institucionalmente o Festival ABCR, que aconteceu nos dias 29 e 30 de junho sob o tema "Ousar para avançar". Devido à pandemia de Covid-19 que vem exigindo medidas de contenção e prevenção em todo o mundo, a edição 2020 foi totalmente online e interativa, com uso de aplicativo exclusivo, e contou com organização da Necta.

A edição realizada no ano que marca as duas décadas de atuação da Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR) contou com a expressiva participação de 600 profissionais de mobilização de recursos de todas as regiões do Brasil. Durante os dois dias do festival, os participantes visualizaram as sessões mais de 10 mil vezes.

"Nesse ano bem atípico, foi muito bom participar do Festival e perceber que não estamos sozinhos nesse momento desafiador da pandemia. Foi muito importante ter ouvido como outras organizações estão fazendo para seguir em contato com os parceiros e mantê-los mobilizados para suas causas", declara João Machado, da Mobilização de Recursos do FICAS. "Novamente a ABCR reuniu nomes de peso e muitas das palestras que participei estavam completamente alinhadas com os temas da atualidade. As de temáticas relacionadas à comunicação são sempre as que me chamam mais atenção. Foi esclarecedor conhecer quais caminhos organizações como a AME, Instituto Alana e Because tomaram diante dos desafios da pandemia e como utilizaram as ferramentas tecnológicas a que temos acesso atualmente", completa. 

A programação contou com temas nos eixos: Mobilização de Muitos; Mobilização de Grandes Valores; Parcerias Empresariais; Gestão, Liderança e Estratégia organizacional; Ética, Transparência e Confiança; Comunicação e Engajamento; Cultura de Doação; Geração de Renda; Negócios de Impacto; Marco Regulatório/Parcerias Governamentais e desafios do novo contexto; e Inovação e diversificação de formas de captação no terceiro setor. Além do Eixo Escola Aberta do Terceiro Setor, Sessões exclusivas Parceiros ABCR, 13 “coronacases” de captação, entre outros.

Os mais de 150 palestrantes nacionais e internacionais, debateram os rumos do setor social no atual cenário da pandemia em 90 sessões paralelas, 7 plenárias, 3 masterclasses, 15 sessões de pré-festival, somando mais de 130 horas. Também numa ação inédita, todo o conteúdo do evento foi gravado e disponibilizado para ser comprado e acessado online na sequência.

> Leia a cobertura do site da ABCR.
 

Itaú Social: FICAS assessora programa de incentivo à leitura pelo terceiro ano consecutivo
O Programa Leia para uma Criança já distribuiu mais de 57 milhões de livros infantis para pessoas físicas e instituições que promovem a leitura.

Desde 2007, o FICAS vem assessorando o banco Itaú e o Itaú Social em iniciativas como o "Programa de Investimento em Programas Sociais - Fundo Itaú Excelência Social", o "Comunidade, presente!" e, desde o final de 2017, o "Programa Leia para uma Criança". Esta demanda se renovou em 2020 e está relacionada aos pedidos de coleções de livros infantis feitos por instituições de todo o Brasil, que desenvolvem ações regulares de incentivo à leitura, além do atendimento às solicitações de Bibliotecas Itaú Criança pelos participantes do curso online "Infâncias e Leituras".

"A proposta do programa 'Leia para uma Criança' é incentivar a leitura do adulto para e com a criança como uma oportunidade de fortalecimento dos vínculos e da participação ativa na educação desde a primeira infância. Além disso, o programa busca ampliar o repertório cultural da criança, por meio da literatura de qualidade, para seu desenvolvimento integral. Os títulos selecionados são distribuídos para a sociedade e para espaços educativos como bibliotecas, escolas, organizações da sociedade civil e instituições de assistência social", afirma Dianne Melo, coordenadora de Engajamento Social e Leitura do Itaú Social.

O curso "Infâncias e Leituras", disponível em polo.org.br, tem o objetivo de refletir, discutir e instrumentalizar a formação de mediadores de leitura, além de ampliar as referências sobre leitura, literatura e infância. Ao final do curso, profissionais que atuam em instituições públicas para a primeira infância podem solicitar um acervo de livros infantis. "O FICAS é a organização que nos atende operacionalmente na análise dos formulários para o envio das bibliotecas e coleções de livros. O comprometimento da equipe e o olhar atento e aderente aos princípios do programa faz toda a diferença para as milhares de crianças e famílias que recebem os livros", declara Dianne Melo.

O FICAS é responsável pelos formulários personalizados por categoria de instituição e por produto, pela análise dos dados colhidos e validação dos requisitos baseados nos critérios definidos pelo Itaú Social. Os pedidos aprovados são organizados e encaminhados aos Correios, responsável pelas entregas. O trabalho inclui também o atendimento via e-mail ou telefone, a fim de orientar sobre os procedimentos de solicitação e distribuição dos livros.

A assessoria vem sendo desenvolvida desde fevereiro e deve se encerrar em dezembro de 2020. A previsão é atender a solicitações de cerca de 600 mil novas Coleções Itaú de Livros Infantis, assim como de saldo de coleções de anos anteriores. O destaque neste ano foi um aumento significativo nas solicitações por parte das turmas da formação "Infâncias e Leituras". O escopo inicial do trabalho era de um total aproximado de 600 bibliotecas e, pelo andamento dos pedidos até o meio do ano, a nova estimativa ultrapassa 2 mil solicitações.

Desde a criação do programa, mais de 57 milhões de livros impressos já foram distribuídos. Mais de 35 mil obras já foram oferecidas em braile e com fonte expandida para pessoas com deficiência visual. Mais de 3 milhões de livros já foram enviados para bibliotecas públicas, organizações da sociedade civil e escolas.

O portal da iniciativa ainda disponibiliza 10 livros digitais para serem lidos por celular, tablet ou computador: www.euleioparaumacrianca.com.br.

> Saiba mais sobre os parceiros: Itaú e Itaú Social.

 
FICAS compartilha a história de seu último triênio
Edição digital do Relatório de Atividades 2017-2019 já está disponível no site da organização.

Nestes tempos desafiadores, o FICAS decidiu revisitar e escrever um trecho de sua história recente a fim de refletir sobre o passado e se programar para o que está por vir. Seu recém-lançado Relatório de Atividades 2017-2019 contempla o período de transformações e tensões no cenário político, econômico e social que acabaram por influenciar trajetórias nas mais diversas áreas, um momento em que se acendia o sinal amarelo no campo dos direitos humanos e das relações igualitárias e ressaltou vulnerabilidades.

A publicação também é uma forma de agradecer a todos os parceiros que seguiram apoiando o trabalho do FICAS com avaliação de projetos, planejamento estratégico, facilitação de grupos, e formações nas suas áreas de conhecimento, como gestão, educação, fortalecimento institucional, rodas de conversa sobre temas urgentes, entre outras tanta atividades.

Além da 14ª edição do Programa de Formação em Gestão, do FICAS, desenvolvido ao lado da coach integral Paola Marinoni, foram realizados programas em parceria com o Instituto Alcoa e Instituto InterCement, além do Programa de Formação de Coletivo de Migrantes e Refugiadas/os, em conjunto com a Fundação Avina e Missão Paz. Migração, aliás, foi um tema-chave que surgiu neste período e permeia grande parte das atividades do FICAS até hoje.

O período também contou com um marco: o aniversário de 20 anos do FICAS em 2017! Depois de sete anos na Vila Madalena, em São Paulo, neste ano sua sede foi transferida para a Vila Mariana, acomodando o Espaço Compartilhar, que reforça o desejo da organização de promover um local de compartilhamento e troca entre profissionais do campo social, profissionais liberais e autônomos. Atualmente compartilham endereço com o FICAS a Labor Educacional, o Instituto Fonte e o IPESA – Instituto de Projetos e Pesquisas Socioambientais, além da terapeuta ocupacional Monica Winnubst.

"Nos últimos anos, o FICAS tem se esforçado para participar institucionalmente de iniciativas do campo social como a Abong – Organizações em Defesa dos Direitos e Bens Comuns e RAC – Rede de Advocacy Colaborativo, e de eventos como o Congresso GIFE, além de apoiar o Festival ABCR", conta Paula Rodrigues, responsável pela Comunicação da organização. "Na área da comunicação, o período foi marcado por nossa estreia em mais uma rede social, o Instagram, e agora é coroado pelo lançamento do Relatório de Atividades, que conta uma parte da história do FICAS por meio de fotos, textos e matérias publicadas ao longo dos anos. Esperamos que possam disfrutar da leitura e recordar os momentos e realizações conjuntas", completa.

Parceiros do triênio
Diversas iniciativas reaproximaram o FICAS de antigos parceiros (Arconic Foundation, Banco Itaú e Itaú Social, IDESQ, Instituto Mosaic, Instituto Sou da Paz, Instituto Votorantim) e também lhe apresentaram a novos (ACNUR – Agência da ONU para Refugiados, Católicas pelo Direito de Decidir, Conselho Municipal de Imigrantes de São Paulo, portal MigraMundo, ONU Mulheres, Rede de Capacitação a Refugiados e Migrantes, Rede Ecumênica da Juventude, Rede Solidária para Migrantes e Refugiados, Scalabrini International Migration Network, Senac São Paulo, Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados, SJMR Boa Vista).

Para saber mais sobre as parcerias e realizações do FICAS, acesse: Relatório de Atividades 2017-2019.
  

> O FICAS em Ação é um informativo mensal que reúne notícias sobre os programas, assessorias, ações e parcerias do FICAS. Jornalista responsável: Paula Rodrigues
> Para receber nossos informativos: por e-mail, escreva para comunicacao@ficas.org.br; por WhatsApp, o cadastro é neste link.