Ficas - Compartilhando conhecimentos, transformando pessoas e organizações

Compartilhando conhecimentos, transformando pessoas e organizações

FICAS em Ação nº 72 - Nov / Dez 2018

FICAS marca presença em importantes eventos sobre migração
Fundadora do FICAS cofacilitou uma oficina em São Paulo e um encontro em Brasília, ambos com foco no tema migração e refúgio.

Neste ano de 2018, migração foi um tema latente na atuação do FICAS, que, entre outras ações, desenvolveu o Programa de Formação de Coletivos de Migrantes e Refugiados/as em parceria com a Fundación Avina e a Missão Paz, com o objetivo central de fortalecer mulheres migrantes. No final de outubro, cofacilitou uma oficina em São Paulo (SP) dentro de um evento sobre capacitação dos atores envolvidos no acolhimento de refugiados e migrantes e, em novembro, facilitou um encontro de redes de proteção destes mesmos públicos, em Brasília (DF).

Lançado em junho, esse evento de capacitação é um projeto que terá duração de 18 meses e acontece por meio de oficinas gratuitas, que, em 2018, foram realizadas em Belém (PA), Manaus (AM), São Paulo (SP) e Boa Vista (RR), capacitando mais de mil representantes de organizações da sociedade civil, agentes públicos, jornalistas e demais interessados. O foco principal é a migração venezuelana no Brasil.

O encontro paulista aconteceu entre 25 e 27 de outubro e contou com uma oficina facilitada por Cyntia Sampaio, da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), da Organização das Nações Unidas, e Andreia Saul, idealizadora e fundadora do FICAS. Para falar sobre o tema "A institucionalização da política municipal para população migrante", Cyntia e Andreia utilizaram uma metodologia lúdica, que incluía um jogo de tabuleiro gigante com o objetivo de estimular a troca entre os participantes, promover reflexões sobre a temática e motivar o compartilhamento de experiências.

RedeMiR em Brasília
Entre os dias 5 a 7 de novembro de 2018, em Brasília, mais de 40 pessoas de 17 estados participaram do XIV Encontro das Redes de Proteção – Rede Solidária para Migrantes e Refugiados (RedeMiR), articulada pelo Instituto Migrações e Direitos Humanos (IMDH) desde 2004. O tema principal do encontro foi “O Brasil e os fluxos migratórios atuais, com destaque para a migração venezuelana: acolhida, hospitalidade e integração" e Andreia Saul e Paola Marinoni, do FICAS, foram as facilitadoras do evento.

Durante os três dias, o encontro propôs um mergulho no cenário atual, a ampliação do repertório técnico e contextual e um olhar para o futuro (estratégias e plano de ação). Na avaliação do evento, os participantes destacaram a metodologia da facilitação como um dos principais pontos fortes, qualificando-a como leve, assertiva, bem articulada, afetiva, entre outros.

“Planejar e facilitar esse encontro trouxe inúmeras aprendizagens para o FICAS. Para analisar o contexto atual e se preparar para o futuro, foram realizadas atividades lúdicas e em grupo, de modo a proporcionar a troca de experiências entre os participantes. Além de exercícios para fortalecer a presença e a conexão consigo mesmo. Um dos pontos de destaque durante todo o processo foi a força que as organizações presentes e a rede têm para desenvolver seu trabalho”, ressalta Andreia Saul, idealizadora do FICAS.

> Saiba mais sobre a Rede de Capacitação a Refugiados e Migrantes.
> Saiba mais sobre o Instituto Migrações e Direitos Humanos (IMDH).
 

Seleção de projetos para o Instituto Votorantim fecha ano do FICAS
A assessoria consiste na análise técnica de projetos propostos por organizações da sociedade civil de cidades que sediam empresas do grupo Votorantim no Brasil, Argentina e Peru.

De setembro/2018 a janeiro/2019, o FICAS está realizando a análise técnica de projetos candidatos a receber apoio financeiro das unidades do grupo Votorantim ou recursos incentivados de suas empresas. Há iniciativas nas áreas de educação, cultura, esporte, saúde, proteção dos direitos da infância e adolescência, entre outras indicadas pelo Instituto Votorantim.

Os projetos apoiados com recursos próprios das empresas são desenvolvidos por associações e organizações da sociedade civil, enquanto aqueles que receberão recursos de renúncia fiscal (esportivos ou culturais) são de proponentes variados, entre esses empreendedores/as culturais, microempresários/as e pessoas físicas.

“O trabalho realizado pelo FICAS busca identificar pontos fortes, desafios e ajustes a serem realizados nos projetos, além de apoiar as organizações executoras dessas iniciativas na adequação, ajustes das propostas e demais atividades pertinentes ao processo em busca do apoio das empresas do grupo Votorantim. Foram lidos mais de 120 projetos nesta assessoria”, afirma Marcia Quintino, responsável pela parceria dentro do FICAS. Esta mesma assessoria em avaliação foi oferecida pelo FICAS ao parceiro em 2014.

Criado em 2002, o Instituto Votorantim é o núcleo de inteligência social das empresas da Votorantim e atua com foco nos atuais desafios das regiões onde há negócios do grupo, buscando soluções de longo prazo para a sociedade e identificando oportunidades e riscos para os negócios. O instituto também busca estar alinhado com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU).

> Saiba mais sobre o trabalho do Instituto Votorantim.


Espiral de Conversa deste ano teve como foco a participação social
O encontro aconteceu na sede do FICAS e contou com a presença de Toninho Vespoli, vereador de São Paulo pelo PSOL.

No dia 13 de novembro de 2018, na sede do FICAS em São Paulo, aconteceu mais uma edição de Espiral de Conversa, desta vez, com o tema "Espaços e mecanismos de participação social no atual contexto político". O evento gratuito contou com a presença de Toninho Vespoli (vereador de São Paulo pelo PSOL).

Os 16 participantes enriqueceram o debate com perguntas e trocas de experiências. Entre as falas dos presentes se destacaram as incertezas e desafios diante do contexto do próximo ano e também a necessidade da sociedade civil estar organizada para fortalecer a luta por manter e conquistar direitos.

As Espirais de Conversa do FICAS têm como objetivo proporcionar momentos de encontro e reflexão, onde especialistas e participantes compartilham suas práticas, aprendizados e desafios. O evento de novembro aconteceu no Espaço Compartilhar, uma sala disponível para atividades com até 25 pessoas, com internet, ar condicionado e datashow. A infraestrutura também inclui salas de reuniões para até 8 pessoas e área externa para atividades e convivência.

> Confira fotos das Espirais de Conversa no Facebook.
> Para conhecer as condições do Espaço Compartilhar, entre em contato pelo e-mail comunicacao@ficas.org.br ou pelo telefone (11) 3045-4313.


FICAS assessora programa de incentivo à leitura do Itaú Social
Em 2018, o FICAS seguiu contribuindo para que crianças pequenas, que frequentam organizações, escolas e bibliotecas públicas, tivessem acesso à literatura infantil.

A ação de suporte ao Itaú Social realizada pelo FICAS novamente em 2018 incluiu a análise de pedidos de coleções de livros infantis feitos por instituições de todo o Brasil, que desenvolvem ações regulares de incentivo à leitura. Os pedidos aprovados foram organizados e encaminhados à empresa responsável pela logística para fazer as entregas.

“Cada entrega de livros causou muita alegria e festa entre crianças e educadores, como foi registrado em diversos depoimentos e fotos recebidos por nossa equipe!”, conta Marcia Quintino, coordenadora técnico-metodológica do FICAS e uma das responsáveis pela parceria.

Desde 2007, o FICAS vem assessorando o banco Itaú e o Itaú Social em iniciativas como o Programa de Investimento em Programas Sociais - Fundo Itaú Excelência Social, o Comunidade, presente! e, mais recentemente, o Programa Leia para uma Criança. Este último, que existe desde 2010, contribui para a socialização, o fortalecimento dos vínculos familiares, a ampliação do vocabulário e da capacidade de aprendizagem das crianças.

Nestes oito anos da iniciativa, foram doados mais de 51 milhões de livros impressos e mais de 12 mil em braile ou com fonte expandida para pessoas com deficiência visual. O programa também disponibiliza publicações a serem acessadas pelo celular pelo link www.euleioparaumacrianca.com.br.